quarta-feira, 15 de agosto de 2007

.desejos

Meus desejos, meus interesses, jamais se distin­guiram dos seus. As raras vezes que me opusera a ele, fora para seu próprio bem. Agora, precisaria agir, firmemente, contra ele. Não tenho forças para iniciar este combate. Mas não estou segura de que minha paciência não seja uma inabilidade.


Mulher Desiludida, Simone de Beauvoir

5 comentários:

Cassio Coga disse...

Além de lispectorianos, seremos também vítimas felizes do que se pode chamar de existência Beauvoriana?
hmmmmm....
Amiga, foi maravilhoso passar a tarde com você.
Sempre guardo em meu coração o teu sorriso e a tua voz.
Te amo.

Seu amigo eterno,
C.

hieros disse...

Por coicidência,ontem peguei o livro para ler "A convidada", da própria Beauvoir...
E também por coicidência, coloquei uma foto sua para marcar a página, que foi a que encontrei primeiro na minha frente... rs
bj

gabriel disse...

essa mulé precisa, como diz o conto, fazer alguma coisa urgentemente.

Thaís disse...

Apesar de estranho é inevitavelmente mágico ler seu blog...As palavras parecem se encaixarem perfeitamente no momento exato da minha vida. Agora!
bjo

Brisas disse...

eu adorei esse livro, o uso como um alerta de como nao quero ser. :D

.anúncios google