terça-feira, 11 de setembro de 2007

.carta à você

Hoje eu me senti indiferentemente estranha. As pessoas ao redor, todas elas, não me entendiam. Talvez porque a única pessoa que me compreende, de forma completa, não se encontra mais aqui. Foi embora. Sei que aquela foi a nossa despedida, parados ali na porta. Eu sabia que iria acontecer. Mas ainda não era real. Somente hoje a verdade caiu tão rápida e clara em mim...

Saudades....


Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida.

Clarice Lispector

5 comentários:

Thaís disse...

Eu tenho saudades daquilo que não tive, é estranho dizer, só sentindo pra saber. Nem chegou a chegar e se aconchegar do meu lado só foi sem vir.

* ~ Rosa de Maracatu * ~ disse...

ow, conhecendo um pouquinho mais do seu universo já sei que a saudade estará presente neste momento... e que o querido amigo lhe fará muita falta


e ele, concerteza, sentirá o mesmo por você

Bjão

Cassio Coga disse...

estou desejando absorver-te.
A saudade dói em meu peito e nada posso fazer afim de sanar a dor.
Mas tenho que ser forte.
Eu te amo. É isso que me importa.
seu eterno amigo...

C.

Lara Lírica disse...

Saudade, um sentimento sempre presente, não é? Bjs.

"Guarda estes versos que escrevi chorando como um alívio a minha saudade, como um dever do meu amor; e quando houverem ti um eco de saudade, beija estes versos que escrevi chorando."

(Joaquim Maria Machado de Assis)

Cassio Coga disse...

Priscila,

Voltei a postar.
Abandonou o blog???
Tenho mais idéias para meu livro.
Claro que nao vou deixar meu lado lispectoriano à parte.
Quero você mais do que nunca.

Seu etreno amigo

C.

.anúncios google