terça-feira, 7 de agosto de 2007

.a vida


É vão o amor, o ódio, ou o desdém;
Inútil o desejo e o sentimento...
Lançar um grande amor aos pés de alguém
O mesmo é que lançar flores ao vento!

Todos somos no mundo,
Uma alegria é feita dum tormento,
Um riso é sempre o eco dum lamento,
Sabe-se lá um beijo de onde vem!

A mais nobre ilusão morre... desfaz-se...
Uma saudade morta em nós renasce
Que no mesmo momento é já perdida...

Amar-te a vida inteira eu não podia.
A gente esquece sempre o bem de um dia.
Que queres, meu Amor, se é isto a vida!

Florbela Espanca

5 comentários:

aNNaFLaVia disse...

A triste vida.


Beijo

Lara Lírica disse...

"Quem me dera encontrar o verso puro, O verso altivo e forte, estranho e duro, Que dissesse a chorar isto que sinto!"

Florbela, muito bom!

Bjs.

Thaís disse...

Ainda assim, ainda triste, viver mesmo que meio segundo por dia....

Cassio Coga disse...

"Uma saudade morta em nós renasce"
Tenho saudade do tempo em que Eu era Eu. Tempo em que eu não me procupava com aparencias, tempo em que eu não o gosto de Caviar. (Lembrando um pouco de clarice e modificando à minha existência)
Florbela te diz muita coisa, assim como Clarice.
Saber que tu tens sensibilidade para sentir o que não é visto, só aumenta o meu amor por você. A consequência disto, é ter um total entendimento de tua face.
Assim, como se vê o refexo no espelho.
Hoje, certo de minhas idéias, declaro, humilde e humanamente que você, Priscila Muniz, é a minha melhor amiga. Sem esperar reciprocidade ou qualquer coisa do tipo.
Apenas amo-te. Do jeito que você é.
C.

Cassio Coga disse...

Errata do comentário anterior.: "tempo em que eu não sabia qual era o gosto de Caviar".
Amiga, precisamos conversar.
Deu tudo certo. Agora, me preparo para o tão esperado.
Saudades...
C.

.anúncios google